SEGUIDORES

Google+ Followers

sábado, 18 de outubro de 2008

CRISE FINANCEIRA E A SEPARAÇÃO CONJUGAL

Até que a crise os separe...

Alguém disse: " Com ele eu moro até debaixo da ponte", porém a realidade é bem diferente, e a crise financeira na vida familiar ou conjugal tem se mostrado como sendo um dos principais motivos de separação. Não permita que a crise separe aqueles que Cristo uniu. Para tanto é preciso:
1- planejamento antes do casamento, conforme orienta a bíblia em Proverbios 24 onde o sábio Salomão diz que antes de se casar é preciso acertar os negócios lá fora, preparar um campo, plantar uma lavoura e depois edificar a casa . Note que o casamento ficou para depois de tudo pronto. Dividas pagas, trabalho arrumado e aí sim, o casamento.
2-É preciso saber diferenciar "desejos" e "necessidades".
3-Ter domínio próprio e não comprar nada na empolgação, pois diante de uma eminente aquisição, de um carro novo por exemplo, há uma descarga de adrenalina tão forte que provoca alterações na nossa capacidade de usar a razão, a gente fica "cego" e acredita que é um bom negócio quando as vezes não é ou pelo menos não era um boa hora para comprar aquele bem.
4-Estabelecer prioridades e ser rígido nesse propósito, mesmo porque deve haver primeiro a realização do "sonho a dois", antes do "meu sonho".
5-Comprar aquilo que traz dinheiro para o meu bolso e não aquilo que toma dinheiro do meu bolso. Exemplo de bens que tiram dinheiro do meu bolso : querer um novo modelo de celular constantemente, comprar um carro mais novo , só que financiado; comprar objetos para dentro de casa que na loja tem alto preço, mas se for preciso vender não vale quase nada como por exemplo: um tapete persa, equipamento de som residencial sofisticado, etc. Exemplo de coisas que trazem dinheiro para o meu bolso: ações, títulos de capitalização, imóvel que gere renda, compra de empresa lucrativa para que outros administrem ( casa lotérica por exemplo). Um conselho: Leia o Livro Pai Rico,Pai Pobre.
6-Tenha um orçamento, uma planilha de custo das despesas domésticas, para saber o quanto entra em casa, o quanto sai, e em caso de necessidade onde cortar despesas.
7-Empenhar em não se endividar, tendo sempre uma reserva para as emergências;
8-Nas compras de alto valor discutir com o conjuge antes para que haja harmonia de entendimentos.
9-Não contar com aquilo que ainda não está em suas mãos, para não ser surpreendido.
10-Em caso de crise, dialogue, discuta , combine, planeje,e cumpra com o plano, e lembre-se que a crise gera stress e as brigas tendem a aumentar. Busque a direção de Deus, lembrando que teu conjuge não é o teu inimigo, o teu inimigo é a crise.

2 comentários:

Thiago C. disse...

Belo texto irmão... Deus continue abençoando vc e seu ministério!

Thiago
www.gospelrio.blogspot.com

Anônimo disse...

minha separaçao chegou no momento em que viviamos uma forte crise financera,nao condeno ela,nem tao pouco a mim.era um casamento de 17 anos dois filhos e a cima de tudo com poucas brigas.nao quero encontrar o culpado so quero comentar que a crise financera abala e muito a estrutura da familia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...