SEGUIDORES

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Casamento,divórcio e o novo casamento




Autor : Prof. João Flávio Martinez Publicado em : Terça, 16/10/2007


O QUE A PALAVRA DE DEUS FALA SOBRE ESTE ASSUNTO



Estamos vivendo em uma época em que as separações entre casais estão dia-a-dia mais comuns e o casamento mais insignificante no consciente coletivo. E um dos efeitos sociológicos dessa mudança de paradigmas é a questão da separação no meio cristão que, infelizmente, cresce em níveis assustadores. Como responder a essa vulgarização do casamento como instituição? Como conciliar esses abusos e dar uma resposta a altura a esses infortúnios flagelantes contra o casamento?

Atualmente até líderes cristãos destilam setas contra o matrimonio, veja essa do Rev. Caio Fábio: “Se você é um escravo, mas creu; ande em Cristo. Se puder quebrar as correntes; quebre-as. Escravidão não é aquilo para o que fomos chamados. Há casamentos que são usinas de aflições e doenças. Qual é a vontade de Deus? Deixar que o menino fique no buraco porque a lei o determina; afinal, trata-se do sábado do casamento? o que você acha da mulher rixosa? Meu Deus! Quem puder ficar livre dela, que fique o quanto antes; ou então, que se console com uma goteira na cabeça; ou que faça amor com um espinheiro”

Uma coisa é o pecado do indivíduo ignorante, daquele que não conhece o evangelho de Cristo, outra é pecar conscientemente e viver nesse pecado; “Mas Deus, não levando em conta os tempos da ignorância... Porque se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados...” (At 17.30; Hb 10,26).

Com certeza, a Bíblia Sagrada tem o veredicto final sobre este assunto e estaremos analisando-o nesse escopo.


SOBRE O CASAMENTO:

Foi instituído por Deus, descartando a poligamia.

Leiamos:“Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea... Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre o homem, e este adormeceu; tomou-lhe, então, uma das costelas, e fechou a carne em seu lugar; e da costela que o Senhor Deus lhe tomara, formou a mulher e a trouxe ao homem. Então disse o homem: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; ela será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada . Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne”. (Gn.2:18-24)

“... mas, por causa da prostituição, tenha cada homem sua própria mulher e cada mulher seu próprio marido”. (ICor.7:2)

Os textos lidos explicitam o beneplácito de Deus na união do homem com a mulher, é uma simbiose plena! Tudo quanto Deus fez, foi dito que era “bom”, mas quando o homem e a mulher foram criados, foi dito “muito bom” (Gn.1:27 e 31). Isso nos mostra o quanto o casamento agradou a Deus. A família sempre foi um projeto divino e o casamento feito para ser indissolúvel (Mt.19:6). O Senhor não gostou de observar Adão andando sozinho e sem ter com quem compartilhar a sua vida. Era como que se a criação estivesse incompleta sem a família, daí o nascimento da primeira mulher, Eva. Eva foi tirada das costelas de Adão, ou seja, do seu lado e isso propositadamente, para deixar claro o companheirismo que deverá sempre ser vivido pelo casal.

Na criação vemos também que o Senhor quer que cada homem tenha a sua mulher e cada mulher o seu homem. Existem povos e religiões que aceitam a poligamia (ato de se ter mais de um parceiro) e até alguns que dizem professar o cristianismo. Argumentam, os tais, que vários homens de Deus tiveram mais de uma mulher e que isso não tirou deles o título de servos de Deus. É importante notarmos que a Bíblia relata vários fatos pecaminosos cometidos por homens que serviam a Deus. Entretanto, esses fatos são narrados não para fazermos o mesmo, mas para apreendermos e não cometermos os mesmos erros. Se analisarmos todos os casos de poligamia cometida por homens de Deus, veremos que esse ato sempre foi acompanhado por uma tragédia. Um dos casos mais chocantes é o de Abraão. Deus havia lhe prometido um filho e que dele, Abraão teria uma grande descendência. Só que a sua esposa, que era estéril, resolveu “ajudar” a Deus. Sara fez o que chamamos hoje de “barriga de aluguel” tomando a sua empregada Agar e dando-a a seu marido em seu lugar, nascendo dessa relação, Ismael, do qual descenderiam os ismaelitas, inimigos terríveis de Israel até hoje. Tudo isso aconteceu por Abraão ter cometido a poligamia (Leia a história de Abraão – Gn.12-25). Poderíamos citar os casos de Jacó, Davi, Salomão e outros, os quais foram trágicos, porém comentaremos somente um. O que é importante, é vermos o propósito de Deus que é um casal vivendo um para o outro em fidelidade. Deus poderia ter tirado mais duas ou três costelas de Adão, mas não o fez por ser contrário à poligamia.


O que é tornar uma só carne?

Alguns não entendem o que é ser uma só carne. Alguns acham que se tornar uma só carne é assinar um documento no cartório ou receber a benção do pastor na igreja, mas não é isso. Leiamos:

“Ou não sabeis que o que se une à meretriz, faz-se um corpo com ela?”(Daí o aviso e exortação do Apóstolo) .

Quando há o coito ou ato sexual, o casal torna-se uma só carne e estão, aos olhos de Deus, casados. O Apóstolo Paulo explicou justamente isso aos corintios, condenando os que praticavam a prostituição, deixando claro que os casados já eram uma só carne com as suas esposas e os solteiros deveriam guardar-se para as suas futuras esposas, pois ao saírem com prostitutas tornavam-se uma só carne com elas e contaminavam as suas vidas espirituais (Obs: Em Corinto havia templos de prostituição e sair com uma mulher desses templos era considerado ato sagrado e, por isso Paulo esclareceu o assunto) (ICor.6:16).


SOBRE A SEPARAÇÃO E O NOVO CASAMENTO

Quando o casamento pode ser desfeito?


A princípio a resposta a essa pergunta é: “o que Deus ajuntou não separe o homem” (Mt.19:6). Esse versículo (Mt.19:6) nos deixa claro que, para Deus, deve haver só uma união matrimonial e que sua vontade é que dure para sempre. Entretanto, existem dois casos na Palavra de Deus que é licito contrair novas núpcias.

Os casos são os seguintes:


1) – Quando há o adultério – leiamos:

“Eu vos digo porém, que qualquer que repudiar sua mulher(isso vale também para o homem), a não ser por causa de infidelidade (adultério) , e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério” (Mt.19:9; 5:28-Mc.10:6-12).

“Não adulterarás” (Êx.20:14).

Quando interrogado acerca da separação conjugal e da carta de divórcio permitida por Moisés (Dt.24), Jesus começa todo um esboço sobre o tema referido. Sua declaração é dura, pois na lei mosaica poderia o marido repudiar a sua esposa por qualquer “ato indecente” ou que ele achasse indecente, porém o Senhor volta lá no princípio (Gênesis) e mostra o propósito do Pai – o casamento sem separação. Todavia, o Senhor nos narra aqui um motivo para que esse casamento venha a ter fim e outro possa ser contraído. O fator adultério é frisado nesta conversa com os judeus e explicado como o único motivo para a separação conjugal e ainda o texto nos deixa base para compreendermos claramente que o traído poderá até contrair novas núpcias e ainda ficar de acordo com a Palavra de Deus. Há também a possibilidade do perdão, se o adultero se arrepender. Quando há arrependimento, por parte do adúltero, o melhor e mais aconselhável é perdoar e lutar para manter o casamento e a família unida.


2)– Em casos de viuvez

“Porque a mulher casada (isso vale também para o homem) está ligada pela lei a seu marido enquanto ele viver; mas, se ele morrer, ela está livre da lei do marido. De sorte que, enquanto viver o marido, será chamada adúltera, se for de outro homem; mas, se ele morrer, ela está livre da lei, e assim não será adúltera se for de outro marido” (Rm.7:2-3).

“A mulher está ligada enquanto o marido(ou esposa) vive; mas se falecer o marido(ou esposa), fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor” (ICor.7:39).

A frase “até que a morte nos separe” é interpretada nos versículos citados acima e que bom seria se só a morte fosse o motivo da separação. O viuvo ou viuva não é obrigado a ficar sozinho na vida. Deus dá a liberdade a esta pessoa para encontrar outro companheiro cristão, para juntos terminarem a carreira. Isso é uma decisão de cada viúvo, se não casar, amém, se casar, aleluia!

Só nessas duas hipóteses é que poderá haver um novo casamento. Por isso a escolha de um esposo ou esposa é de extrema importância e não deve ser feita às pressas. É uma decisão para toda a vida e não uma experiência para ver se vai dar certo. A escolha errada poderá comprometer toda a vida de um indivíduo.


O CRENTE E O DESCRENTE

“ Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão tem mulher incrédula, e ela consente em habitar com ele, não se separe dela. E se alguma mulher tem marido incrédulo, e ele consente em habitar com ela, não se separe dele. Porque o marido incrédulo é santificado pela mulher, e a mulher incrédula é santificada pelo marido crente; de outro modo, os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos. Mas, se o incrédulo se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou a irmã, não está sujeito à servidão; pois Deus nos chamou em paz” (ICor.7:12-15).

O relato de Paulo é claro em relação ao crente e o descrente no matrimônio. O crente, por mais que sofra, nunca deverá tomar a iniciativa de procurar o divórcio. Afinal de contas o crente crê na promessa de Deus; “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa” (At.16:31). Sabemos, infelizmente, de casos inadmissíveis que, embora o incrédulo não queira a separação, ele massacra seu cônjuge. Nesses casos aconselhamos, não o divórcio, mas que o agredido procure as autoridades competentes (Rm.13), pois mesmo o incrédulo é obrigado a cumprir as leis do seu país. É claro que essa atitude só é tomada em extrema necessidade. Devemos sempre estar dispostos a sofrer pelos não salvos, imitando assim o nosso Senhor. Devemos lembrar também que se o descrente apartar-se, o crente não deverá ainda assim contrair novas núpcias, ou seja, casar-se novamente. Certamente o descrente ao apartar-se, não vai querer ficar sozinho, e ao casar-se novamente comete o adultério, dando assim, ao crente liberdade para, se quiser, casar-se também.


HÁ PERDÃO PARA O ADÚLTERO?

Notei ao estudar o referido tema, que a maioria dos comentaristas não gostam de falar sobre como fica o adúltero. Será que para ele não há mais perdão? Existem denominações que o adúltero é excluído por, aos olhos deles, ter cometido um pecado imperdoável. Será isso ensinado pela Bíblia? E o poder do sangue de Jesus? Leiamos então:

“Então os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério; e pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante adultério. Ora, Moisés nos ordena na lei que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes? Isto os diziam, tentando-o, para terem de que o acusar. Jesus, porém, inclinando-se, começou a escrever no chão com o dedo. Mas, como insistissem em perguntar-lhe, ergueu-se e disse-lhes: Aquele dentre vós que está sem pecado seja o primeiro que lhe atire uma pedra. E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra. Quando ouviram isto foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos, até os últimos; ficou só Jesus, e a mulher ali em pé. Então, erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém senão a mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? Respondeu ela: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu te condeno; vai-te, e não peques mais”.

No texto lido é nos mostrado que Deus ama e se preocupa com o adúltero, embora abomine o adultério. O Senhor Jesus com prazer perdoou a mulher adúltera, mostrando que há perdão. É claro que não podemos nos esquecer do arrependimento da adúltera e da frase “vá e não peques mais”.


Qual é o pecado que não tem perdão

Quero explicar isso, pois já encontramos varias pessoas jogadas e sem esperança por causa de alguns conceitos errados sobre o adultério. Existem casos em que, por exemplo, o adúltero se arrependeu e voltou para com seu parceiro e nem assim foi perdoado pela denominação. Cabe aqui, então a nossa explicação sobre o “pecado que não tem perdão”. Leiamos: “Em verdade vos digo: Todos os pecados serão perdoados aos filhos dos homens, bem como todas as blasfêmias que proferirem; mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca mais terá perdão, mas será réu de pecado eterno” (Mc.3:28-29).

O Senhor Jesus, no texto acima, nos mostra que quando a pessoa fala mal de uma obra, sabendo que é de Deus e a imputa como sendo do Diabo, cometendo conscientemente então o pecado de blasfêmia contra o Espírito Santo, esse sim, não tem perdão. Certa feita eu perguntei, ao meu saudoso professor de teologia, como alguém poderia saber se cometeu esse pecado. Ele me respondeu dizendo: “Se dentro dele houver temor de cometer esse pecado ou ter cometido já é uma prova de que ele não cometeu. Em Jo.16:8 fala que o Espírito Santo é o que convence o homem da justiça, do juízo e do pecado. Só o Espírito de Deus pode trazer essa consciência de pecado e isso mostra que Ele ainda ama aquela pessoa, a qual está preocupada em ter blasfemado”. Entretanto comparar blasfêmia contra o Espírito Santo e adultério é errado.


O caso do Rei Davi

E o que dizer de Davi? Houve o adultério por parte desse homem de Deus, mas houve também o perdão, pois Davi arrependeu-se amargamente e clamou ao Senhor( Sl. 51)

É notório que Davi não só cometeu o adultério, mas também o assassinato de Urias e ainda casou-se com Bate-Seba. Entretanto, chorou amargamente e pagou um alto preço, pois o adultério nunca acontece sem ser acompanhado por uma grande desgraça. Davi alcançou o perdão de Deus (Leia: IISm.11 e 12), mas a custos elevadíssimos!

Guarde isso: “Sempre há perdão para aquele que se arrepende, mas o fruto do adultério fica trazendo dor e sofrimento. O adultério nunca compensa”.


E quando a pessoa vem para a Igreja separada do primeiro parceiro e amasiada com outro? O que fazer?

Muitos, ao se converterem, encontram-se em situações de grande embaraço. Muitas vezes, o casal recém convertido, vem de relações onde houve o divórcio e já convivem juntos a muito tempo. O que fazer? Voltar cada um com seu antigo cônjuge? Separar-se do segundo para, quem sabe, ajuntar-se novamente com o primeiro? E quando há filhos no segundo casamento? Antes de responder essas questões vamos à Bíblia: “Disse-lhe Jesus: Vai, chama o teu marido e vem cá. Respondeu a mulher: Não tenho marido. Disse-lhe Jesus: Disseste bem: Não tenho marido; porque cinco maridos tiveste, e o que agora tens não é teu marido; isso disseste com verdade” (Jo.4:16-18).

Acredito que as palavras de Jesus esclareceram a questão. O fato descrito acima é do encontro de Jesus com a mulher samaritana. Nesta oportunidade, o Senhor abre um dialogo e introduz a palavra de salvação. Quando percebe que a mulher está respondendo bem à mensagem, Ele pede para que o seu marido seja chamado e venha participar da conversa. A mulher, envergonhada e um tanto chateada, faz a alegação - “não tenho marido”. Nesse momento o Senhor argumenta que isso era verdade, pois ela havia tido cinco marido e o atual não era o dela. O Senhor não a desprezou por isso e nem lhe disse para voltar ao primeiro marido, mas o texto, mostra-nos a intenção do Senhor em abençoar o seu último casamento. Existem casos que é melhor abençoar a relação atual e esquecer o passado. A Bíblia diz que: “Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (IICor.5:17). Sabemos que cada caso é um caso e tem que ser analisado no prisma da misericórdia de Deus(Mt.9:13). Conheço pessoas que erraram e se arrependeram, mas quando procuraram a igreja não receberam auxílio e conforto espiritual. Há casos que não tem mais jeito, pois a primeira relação já está morta. Quando há a separação e o segundo casamento já foi consumado e até há filhos, entendo que o melhor é deixar como está. São tantos os fatores que o espaço aqui não nos permite ser mais abrangentes. Entretanto, citarei um caso como exemplo. A pessoa largou a primeira esposa, com qual tinha dois filhos, e contraiu novo relacionamento, do qual nasceu mais dois filhos. Um dia desses, esse homem, com a sua segunda mulher resolvem ir a uma igreja e ali se converterem. O que aconselharíamos a ele? Voltar com a primeira mulher, a qual talvez nem mais o quer, deixando a segunda com dois filhos pequenos ou aconselharíamos a manter o segundo casamento? Acredito que a segunda hipótese é a mais lógica, pois o próprio Paulo disse: “Cada um fique no estado em que foi chamado” (ICor.7:20). Neste texto Paulo se referia a relação conjugal e com certeza poderíamos aplicá-lo no caso citado. O segundo casamento precisa mais de união do que o primeiro. É claro que, quando podemos restaurar o que foi destruído, não hesitamos em fazê-lo. Agora, destruir para tentar construir, isso nunca.


CONCLUINDO

Devemos sempre estar orando e intercedendo pelas nossas vidas conjugais. O diabo, desde que o mundo começou, tem tentado contra a família e a sua homogeneidade. Sabemos, contudo que: “maior é o que está em nós e já somos mais que vencedores em Cristo Jesus”. Desejo e oro para que os casamentos sejam mantidos de acordo com o propósito de Deus e nunca se acabem. Que seu casamento seja uma grande benção por toda a sua vida. Deixo este salmo para sua meditação:


É um dos fundadores do CACP, graduado em história e professor de religiões







Aconselhamento? Click "Aconselhamento e dúvidas" na lista de blogs acima.Pr Ismael e Pra Cleire.

11 comentários:

Faby disse...

Pr Ismael, vc diz que" destruir para tentar construir, isso nunca". Eu estou separada vai fazer 2 anos,tenho dois filhos, meu marido me deixou por cauda de outra,nosso divorcio nunca se concretizou.Ele já tem um filho com ela.Eu ainda amo meu marido, quer dizer que o mais certo é ele continuar com ela, e eu e meus filhos?Hoje ele não é feliz.

Anônimo disse...

Eu penso o seguinte: Deus odeia o divórcio, portanto, 2º casamento nao será abençoado é nunca!
Jesus nos manda reconciliar com nossos inimigos nao é? entao!!!
Casamento é um só! Se vc se separou, entao que nao se case de novo pq é ADULTÉRIO SIM!
Sou contra 2º casamento até o final! Se o seu marido te traiu, ou se vc traiu ele, enfim, existe perdão, ainda mais se vc aceitou Jesus! Se vc casou com essa pessoa e hoje acha que ela é errada, vá orar pra Deus te abrir os olhos, te devolver o "1º amor", vá pedir perdão por teus erros e aceite o perdão dela se esta lhe pedir! Por isso que o mundo ta desse jeito, familias se decompondo pelos ataques do inimigo e quem deve dizer a verdade, levar a Palavra, ainda a distorce!

pimentagoncalves disse...

minha historia e asim eu guando tinha 18 anos fiquei gravidae meu namorado tinha 19 anos queriamos casar mas a mae dele nao acinou de geito nenhum pois naquele tempo menor so casaria com assinatura dos pais,bem fomos morar juntos num belo dia brigamos e ele saiu de casa ficou um mes cem dar noticias guando veio ver nosso filho ele ja tinha casado com outra cem conhecela so tinha um mes de separada ele casou com outra ficara 5 anos casados en fim depois que eles separaram nos voltamos hoje temos 13 anos que moramos juntos e ele legalmente continua casado com a outra mas ele tenta divorcia desdealguns anos mas ela nunca aceita hoje vele entrou com letigioso, mas minha duvida e esa sou cristã e isso me encomoda muito porque sei que legalmente ele acinou um papel com ela mas na verdade ela quem pecou pois se uniu a um homem que ja tinha familia ou ela nao pecou so porque acinou um papel?hoje nosso filho tem 21 anos e temos uma peguena de 8 anos e a outra que ele teve casado por cinco anos tem 2 filhos 16 e 15 anos asim que a situaçao dele legalisar pretendemos nos casar , mas mesmo asim eu fico preocupada sera se mesmo casando estarei cometendo adulterio mas ao mesmo tempo penso mas foi ela que entrou no meio de minha familia bom isso me faz sofrer muito.

Anônimo disse...

09/01/2011.

Primeiramente, glória a Deus pelos belos artigos embasados na Palavra de Deus. Que os pastores, instrumentos usados para redigir tais artigos, permaneçam vigiando e crescendo dia após dia, sem nunca deixarem de reconhecer O verdadeiro Autor de tais mensagens.

Em segundo lugar, não vou nem ousar em dizer se o 2º casamento é, ou não, válido aos olhos do Senhor, independentemente se houve traição, ou não. O que desejo expressar aqui é que num casamento, duas pessoas, que geralmente são 1.000% diferente uma da outra, passam por um processo de "mix", onde muita coisa é aproveitada e, também, muita há o que se "reciclar" e, claro, também temos o "lixo", onde não há melhor destino do que o passado mesmo.

Infelizmente, passo por um grande impasse em meu casamento. "Carnalmente" falando, desejo o divórcio (até ela também), mas sabemos que Deus prefere nossa permanência. Agora pergunta-se: "Mas permanecer casado mesmo sem amar é melhor do que consumir o divórcio?". Não terei a ousadia em responder a tal pergunta, mas de uma coisa sabemos: que Deus, ainda, opera milagres. ;]

Pastores, se não for muito, gostaria de ver suas opiniões no tocante ao assunto exposto. Além disso, peço a vocês, e aos irmãos em Cristo Jesus, que orem pelo meu casamento.

Sem mais, que a graça e paz de nosso Senhor Jesus Cristo estejam conosco.

Abraços.
P.E.O.M.

Edison F. Dias disse...

2º Casamento é Aldutério cotinuado e ponto Final, Jesus permitiu o divórcio em caso de "pornéia", e não segundo casamento, as pessoas querem colocar na Bíblia coisas que ela não diz, Leiam Romanos 7:1-3 e Corintios 7:39, Enquanto o seu marido ou mulher viver você está ligado(a) a ele(a) e ponto final até que a morte os separem.

Luciene disse...

QUANTO AO 1º CASAMENTO É POSSIVEL SIM PERDOAR UMA TRAIÇÃO QUANDO TEMOS O CONHECIMENTO E O AMOR DE JESUS EM NOSSAS VIDAS, MAS NÃO CONHECENDO ESTE AMOR NÃO HÁ PERDÃO E SIM A SEPARAÇÃO.UM SEGUNDO CASAMENTO É POSSIVEL QUANDO É DADO POR DEUS,MESMO ASSIM É COMPLICADO PRINCIPALMENTE QUANDO SE TEM FILHOS, OS DOIS VINDO DE DIVORCIOS, PARA ASSUMIRMOS OS PAPEIS DE SACERDOTE E AUXILIADORA FICA COMPLICADO POREM NÃO É O PRIMEIRO E ACABA GERANDO CONFLITOS. MAS CREIO NO MILAGRE DO SENHOR NUMA SEGUNDA UNIÃO, A PALAVRA DE DEUS DIZ QUE O QUE DEUS UNIU NÃO SEOARE O HOMEM, POREM MUITAS VEZES NOSSO CASAMENTO NÃO FOI UMA UNIÃO DE DEUS E SIM DE NOSSA PROPRIA VONTADE, POR ISSO NÃO DEVEMOS SER INFELIZES PARA SEMPRE E SIM HA O PERDÃO DE DEUS SÓ TEMOS QUE TER CUIDADO PARA NÃO ERRARMOS NAS ESCOLHAS E SIM COLOCARMOS DIANTE DE DEUS SE PENSAMOS NUM NOVO CASAMENTO PARA QUE HAJA CONFIRMAÇÃO SE ASSIM NÃO FOR MAS UMA VEZ VIDAS SERÃO DESTRUIDAS . A VONTADE DE DEUS É SEMPRE A MELHOR E ELE QUER QUE SEJAMOS FELIZES, SE É POSSÍVEL SALVAR O 1º CASAMENTO LUTE SE NÃO TENTE ACERTAR NO 2º, PRECISAMOS ESTAR DISPOSTOS A FAZER O OUTRO FELIZ SIM ASSIM FOR SEREMOS FELIZES COM ESSA TROCA.
Quero parabenizalo pelas materias e tantas dúvidas esclarecidas através da Palavra de Deus, que O Senhor Jesus acrescente muito mais em sua vida meu querido pastor.

Claudia Nunes disse...

Caro pastor, suas colocações nesse textos estão ótimas, porém gostaria que me auxiliasse. Sou evangélica, porém antes de aceitar a Jesus eu adulterei, contei ao meu marido e ele me perdoou, isso ocorreu a 6 anos atrás. Hoje estou separada do meu marido, que esta morando com uma mulher que conhecíamos da internet. Essa mulher é evangélica e nós duas já oramos juntas e choramos juntas quando seu marido teve câncer no cérebro e veio a falecer. Só não sabia que com o falecimento do seu esposo ela se insinuaria para o MEU marido, porém foi o que aconteceu. Hoje essa mulher me alfineta o tempo todo com a passagem de Deuteronônimo 24:1, me acusando do meu passado pecaminoso, mas eu não aceito esse jugo, pois creio que o Senhor tenha me perdoado devido ao meu arrependimento. Hoje, quem é o adúltero da questão? Não são eles? Ela é viúva e portanto livre para novas núpcias, porém meu marido ainda é casado comigo, e eles estão vivendo juntos, frequentando a igreja, indo a reuniões de casais na igreja e sendo chamados pelo pastor dela de família abençoada. Estaria realmente Deus abençoando essa família? Meu marido não é cristão, mas essa mulher diz que é. Creio que ela esta menos inocente aos olhos de Deus do que ele. Nesse caso, pastor, eu sou a repudiada, mas estou sendo repudiada pelo meu adultério passado? Isso ainda pode ser usado, perante Deus, como justificativa para ele se separar de mim? E no caso de existir essa justificativa, mesmo ele tendo me perdoado no passado como disse, poderia ele contrair novas núpcias com as bênção de Deus? Essa mulher vive dizendo que Deus "deu" meu marido a ela. Que Deus é esse que tira um pai de família de casa, que destrói um casamento de 21 anos para dar para outra pessoa? Eu não sou nem nunca fui uma mulher rixosa, antes, minha casa sempre foi um lar de paz e harmonia. Meus filhos nunca ouviram um AI mais alto entre nós dois. Nunca deixei que um desentendimento passasse de um dia sem ser resolvido, pois sempre tive receio de algo acontecer e ele morrer sem que eu tenha tido tempo de pedir perdão. Hoje, meus filhos estão abandonados pelo pai que sempre foi amoroso. Minha filha de 18 anos esta abandonada pelo pai que a chamava de princesinha do papai, tudo por causa dessa mulher, que o impede de procurar a filha, já que ela não a aceita. Pastor, o que o senhor tem a me dizer, dentro da Palavra? "EU" estaria livre para novo casamento, já que meu marido foi embora, adulterando, e meu pecado foi antes de conhecer Jesus?
Por favor, pastor, me esclareça essas dúvidas que tive coragem de perguntar-lhe, pois essa mesma coragem não tenho na minha igreja.
Muito obrigada, Graça e Paz.

Anônimo disse...

Claúdia Nunes, não pude deixar de responder a sua pergunta, embora, não tenha sido feita a mim. Mas, creio que tenho algo de Deus para ti. Seu marido e essa mulher (que se diz evangélica, que triste!) estão cometendo adultério. Estão opressos pelo inimigo. Isso não existe! Quanta ignorância há nas igrejas, quando admitem tais situações. É prova de que satanás tem feito “a festa” nas famílias e conseguindo o que ele mais deseja: destruí-las. E, infelizmente, muitos casos, com a aprovação de líderes que se dizem “servos” de Deus. Estes, um dia estarão diante do Pai e serão responsáveis pelos seus atos. Que terrível será esse Dia para eles!
O segundo casamento não é permitido a nenhum dos cônjuges. Nem quem adulterou, nem quem sofreu o adultério. A tradução original da Bíblia (grego), não trata de adultério em Mateus 19:9, mas de fornicação. Veja: "Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de FORNICAÇÃO, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério." Fornicação (porneia) significa, na tradução fiel ao grego, relação sexual antes do casamento. Sugiro os links abaixo para melhor compreensão:
http://familiasparacristo.com.br/mateus-mateus-a-culpa-e-toda-sua
http://familiasparacristo.com.br/2010/08/segundo-casamento-o-que-deus-diz-a-respeito/
O pecado do adultério tem perdão, sim! Mas, para isso (assim como todos os pecados, excluindo, o de blasfêmia contra o Espírito Santo, que não há perdão) deve haver o arrependimento sincero e o abandono da prática pecaminosa. Se você se arrependeu e pediu perdão e deixou o pecado, saiba Jesus lhe garante o perdão. Fique livre dessa acusação que provém do malígno!
Em 1 Coríntios 6:9-10: “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o Reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, NEM OS ADÚLTEROS, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus”.
Não deixa de ler os estudos citados acima! Deus te abençoe!

Andrea

Anônimo disse...

Me perdoem queridos mas vcs estão totalmente equivocados,nasci na igraja e jamais me asfastei da palvra Dele, Deus nos ama e como um pai jamais gostaria de ver a infelicidade dos seus filhos, ou vcs como pais suportariam ver seus filhos sofrendo para o resto de suas vidas?? ele é misericordioso!!! A própria palavra diz que o unico pecado jamais perdoado por Deus é a BLASFÊMIA CONTRA O ESPIRITO SANTO!

Anônimo disse...

Ô Ignorancia.. Nem pra vc passar em um funil daqueles pra ver como que é! quero ver ficar firme forte nestas palavras O PERFEITAO (a)
porque ja que é pra seguir tudo entao voce deve ser o senhor santarrao! Ipocrita!

Anônimo disse...

Paz Pastor,gostaria de saber sua opinião baseado na bíblia.Fui casada durante doze nos com um homem do mundo e eu também era do mundo, não tínhamos conhecimentos bíblicos e nem seguíamos nenhuma religião apesar de dizermos que eramos católicos.Me casei em uma igreja completamente cheia de imagens de ídolos,e hoje faz vinte anos que me divorciei por muitas brigas, ate mesmo agressão física,para não ficar pior nos separamos. Ele teve outra família sem se casar ,eu não tive outra família mais namorei com alguns homens.Hoje faz seis anos que me converti,desde então estou só,e pedindo a Deus que me prepare um varão.Gostaria de saber se estou fazendo errado em pedir a Deus que me prepare um varão ,pois meu conceito de um lar hoje e bem diferente.agradeço a oportunidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...