SEGUIDORES

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Na pratica, o que é honrar os pais.

Pastor Ismael, tenho desejo de honrar meus pais porque entendi que isso é uma questão de inteligência, mas não sei bem o que é isso na prática, podes me ajudar?

Resposta: Em que consiste a honra aos pais.

Bom meu querido leitor, a honra aos pais é um dos mandamentos de Deus para o seu povo e traz aos seus praticantes a benção da longevidade e da prosperidade. É o único mandamento que traz consigo uma promessa. Atentando para os jovens que se envolvem em crimes, acidentes, dependência com drogas, e morte, veremos que são aqueles que, via de regra, estão debaixo de desobediência dos pais. Outro dia prestei atenção ao que uma mãe dizia na TV sobre a morte do filho quando provocou um acidente de transito, ela disse: “Eu falei para ele, não beber, que voltasse cedo para casa, que não se ajuntasse com más companhias. Eu sempre orientei meu filho, mas ele fazia  tudo sempre  ao contrário, e deu no que deu, ele agora está morto.”
Percebe o peso da ausência da promessa da longevidade e também da prosperidade. Aquele filho, ficava desprotegido quando constantemente desobedecia sua mãe não lhe dando ouvidos.
Penso que os filhos honram os pais, especialmente, e principalmente quando eles se comportam como pessoas do bem, dão bons exemplos. e amam seus pais com um amor palpável. A honra, segundo Deus, é devido pelo filho aos seus pais e não depende de méritos deles, é dever do filho.
Honrar aos pais é fazer a coisa certa, é não provocar a vergonha deles, é cumprir com os deveres de filho, de cidadão, de estudante, é dar um bom testemunho, é andar na luz, é ser uma referência positiva. É ser ético com os negócios, é não manchar o bom nome , é não ser motivo de preocupações e de doenças emocionais deles. É não gastar mal aquilo que é do pai, é não desprezar os conselhos de mãe. Costumo dizer que honrar os pais não é só dar presentes, procurar oferecer agrados, mas sim, dentro do possível corresponder as suas expectativas, respeitar as regras de família, submeter-se a eles enquanto viver às suas expensas , respeitando a autoridade paternal, é não afrontá-los, é tê-los em alta conta e estima, é contribuir para o bom andamento da vida em família. Honrar os pais é trabalhar sempre com a verdade, é não enganá-los, é não mentir para esconder erros. Isso tudo, é honra aos pais.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Paixão a primeira vista isto é de Deus? Parte II

Link da Parte I : http://casadosemcristo.blogspot.com.br/2015/06/amor-primeira-vista-existe-e-se-existe.html

A bíblia contém  orientações, conselhos ensinos para nossas vidas e como o amor é  algo marcante na bíblia ,”Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito para salvar o mundo” João 3,16. Então não podia faltar histórias de paixões á primeira vista hoje vou falar de uma que particularmente é minha preferida, pois contém vários elementos interessantes para que um relacionamento seja duradouro. Essa história se encontra no livro de Gênesis 29,6. Um jovem que ao se deparar com uma pastora de olhos formosos, imediatamente  tem sua vida transformada. Primeiro ele  remove a pedra do poço em sinal de gentileza para Raquel. Como é seu namorado? Ele é gentil? Preocupa-se com suas necessidades? Com as dificuldades que você enfrenta no trabalho?  No verso 18 diz:  18 E Jacó amava a Raquel, e disse: Sete anos te servirei por Raquel, tua filha menor. Primeiro quero ressaltar a atitude desse homem de coragem que estava sem casa, sem trabalho, correndo risco de vida ( seu irmão queria mata-lo) e ele diz eu quero essa mulher pra mim , por ela trabalharei 7 anos. Um homem temente a Deus tem que se posicionar esforçar-se, trabalhar investir no relacionamento. A ciência considera que uma paixão pode durar até três anos. A paixão é aquele sentimento avassalador que altera até a fisiologia do nosso corpo: as mãos podem suar frio, os batimentos cardíacos ficam acelerados, o rosto ficar afogueado, os olhos e cabelos brilhantes, a pele mais sedosa, e na mente fixada em um único assunto a imagem do objeto de nossa paixão. No entanto esse sentimento, esse estagio precisa evoluir para outro estágio, o do compromisso, assumir responsabilidades, cuidado com o bem estar do outro. Outro elemento interessante na história de jacó e Raquel é o esperar, preparar-se para o casamento, o tempo do namoro, de uma convivência mais próxima com a pessoa, com os familiares. Afinal quando se casa com uma pessoa:  mãe , pai, irmãos, sobrinhos   fazem parte do pacote. Ou seja, não terá como ignora-los são pessoas que inevitavelmente você terá que conviver nas férias, feriados prolongados, datas comemorativas enfim...
O tempo de namoro é exatamente para que se conheça de fato a outra pessoa, durante o estagio da paixão nós nos recusamos a perceber o outro como de fato o é. Olhamos para o objeto de nossa paixão e como um espelho o que vemos é um reflexo dos nossos desejos, do nosso homem ou mulher ideal. Essa idealização só cai por terra com a convivência : hábitos gostos, costumes, tradições diante de uma gama de situações diversas. Passar dez anos namorando somente aos sábados por duas ou três horas incluindo ai o culto de jovens, também não é o mais indicado. A questão é vivenciar junto diversas situações do cotidiano para de fato poder conhecer a pessoa com a qual você irá conviver por toda a sua vida.
 Jacó seguiu trabalhando, esperando , respeitando sua namorada. Isto demonstra o quanto Raquel significava para ele, sua importância. Imagine como era o dia a dia desse casal de namorados durante sete anos convivendo de uma forma muita próxima e ainda assim eles souberam esperar pelo casamento para terem intimidade sexual. A questão é se eles conseguiram nós não podemos? Qual a diferença?. Bem esse pode ser o tema do próximo artigo . Como esperar ? Como manter a santidade durante o namoro.


Traí meu cônjuge, conto ou não?

Quanto a contar ou não, depende. A resposta a isso é mais complexa do que o simples sim ou não. O arrependimento e o pedido de perdão a Deus basta para fins de salvação e ligação com Deus. Agora, quanto a contar ao outro, o pecador deve ter uma noção prévia se aquilo vai ajudar ou vai piorar a situação. Invariavelmente a situação piora, costumo dizer que o que errou busca aliviar-se do peso do seu pecado e diz: " não consigo carregar mais comigo esse pecado, preciso falar." E quando ele faz isso, na prática, está pegando o seu sofrimento, a sua culpa que lhe é muito pesada, então, coloca sobre os ombros do outro, como se já não bastasse ter sido traído, agora tem que carregar o sofrimento e a dor. Em geral o outro não está pronto para receber essa notícia que lhe fará mais mal do que bem, então, à titulo de preservar a saúde emocional do outro, penso que é melhor não contar. Entretanto, se a pessoa que foi vitima vier a saber e perguntar, o pecador deve estar pronto para lhe confessar o erro e pedir perdão. 
Alguns creem que se deva cumprir Tg 5.16 "confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados". Creio que esse confessar é falar com alguém de sua confiança, quem sabe o seu pastor, discipulador, pai, ou mãe,  de modo que orem juntos à respeito do pecado e isso trará cura para o pecador e não, necessariamente, obriga alguém a contar sua infidelidade ao seu cônjuge. O que se pode fazer, é orar a Deus para que prepare o cônjuge para ouvir essa confissão, mas só o fazer quando receber uma orientação direta de Deus.  
Já vi famílias serem destruídas por causa de confissão afoita, assim como já vi outros casos, onde a confissão deu certo, eles se reconciliaram e a história acabou bem. O certo de tudo isso é que o adultério sempre gera morte. 

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Casamento falido n'ao atende aos propósitos de Deus com relação a proclamação do Reino.

O casamento é muito mais que uma estratégia para a alegria e o deleite de homens e mulheres. Ele é uma estratégia de Deus para a consecução de propósitos definidos, como a implantação do Reino de Deus na terra. É o jeito escolhido por Deus para povoar a terra com filhos da Luz, estabelecendo assim uma geração que preparará a outra para que nunca se esqueça que sua origem está em Deus e também o seu destino ( conforme Salmo 78). Entretanto, é preciso dizer que não é possível ser útil para o Reino o casal que se encontra com um casamento em ruínas e falido, é importante que ele se configure como uma relação de amor e cuidado, bondade e misericórdia, alegria e justiça, para que assim influencie a muitos. O inimigo de nossas almas sabe do real valor de um lar solidificado em Deus, e por isso usa toda sua energia contra a família, pois nela está o nascedouro dos melhores filhos de Deus, gente que vai dar frutos para o céu e saquear o inferno, de forma que isso tudo, justifica o esforço de cada filho da Luz, nos sentido de proteger a família e o casamento aos moldes do plano inicial de Deus.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Síndrome do conformismo no casamento

.

O conformismo é uma armadilha da mente humana que aprisiona as pessoas, inclusive aqueles que têm grande potencial. Também conhecida como síndrome da psicoadpatação aprisiona o processo da leitura da memória levando-nos a pensar  e nos comportar  sempre da mesa maneira. Qualquer mudança é um sacrifício.
As pessoas nas garras dessa síndrome creem na tese insana e infantil de que pau que nasce torno morre torto. Sentem que são programadas para serem infelizes. Acreditam em sorte e azar, são doentiamente supersticiosas. Creem que são assim e morrerão assim. Uma personalidade conformista morrerá com seus defeitos. Uma personalidade inconformada terá  subsídios intelectuais para mudar seu destino. Não há pessoas de sucesso ou fracasso, mas pessoas que fecharam ou se abriram o circuito de sua memória.
Muitos casais passam mundos e fundos para ficar um com o outro no início da relação. Enfrentam tempestades, frio, crises financeiras, maus humos dos parentes, diferenças de personalidade. Parece que nada detém as lavaredas do amor. Mas, com o passar do tempo, os amantes vão se psicoadaptando um  ao outro, já não brincam mais, já não são tolerantes, flexíveis, criativos. Engessam suas mentes, não tem a mesma disposição de enfrentar os invernos da vida , para dar um beijo, para trocar um olhar e sentir o calor do corpo um do outro. Tornam-se escravos da rotina.
Tornaram-se idosos emocionalmente. Envelheceram precocemente o amor. Um casal pode ter cinco anos de relacionamento, mas cem anos de idade afetiva. Muitos casais que vão a restaurantes, cinemas, festas estão num asilo emocional. Só se motivam quando tem algo novo para fazer.
A.T. era um jovem apaixonado, inventivo, prestativo, um gentleman . Gostava de viajar, brincar, se aventurar com a mulher que escolheu para viver. Casou-se e parecia que a relação seria um eterno jardim, mas pouco depois começou a mergulhar no tédio. Ficava cada vez mais afundado no sofá diante de uma TV. Depois de dez anos parecia um ser humano em estado terminal. Vivia uma mesmice sem fim. Não elogiava a esposa, não comentava, nem perguntava nada sobre ela, era um túmulo. Fez voto de silencio mesmo não sendo um religioso.
Estava enterrado no banco endividado permanecia. Conformista, não se reinventava como profissional para criar, impactar pessoas e aproveitar as oportunidades para ter um lugar melhor ao sol. O mundo podia estar caindo ao seu redor , mas ele simplesmente não reagia. Era tão egoísta que, mesmo sabendo que sua relação estava falida, não tomava qualquer atitude. Bastava ter o controle da TV a cabo que estava tudo certo. Até que a esposa bradou: “Socorro, casei como um monge!”  Foi assim que me procurou.
Ele achava que nunca perderia a esposa. Pedi que ela mudasse seus estilo de vida. Saísse com as amigas, visitasse os pais e irmãs, fosse a algumas festas, enfim, não se enterrasse junto com ele. Um mês depois o conformista entrou em crise, percebeu que tinha de investir em quem amava, caso contrário a perderia. Passado o susto, ele me procurou e lhe falei sobre o cárcere da síndrome da psicoadaptação.  Ele entendeu que por detrás de seu conformismo havia uma pessoa profundamente egoísta. Assim, o ajudei a se reinventar, não apenas como parceiro, mas também como profissional.
Reitero: Uma pessoa conformista fere profundamente seu parceiro sem usar objeto cortante, asfixia o parceiro sem tirar o seu oxigênio. Uma relação saudável, profunda e feliz precisa de superação das manias, da timidez, rigidez, fobias, mesmice, precisa ainda de doses de aventura e sonho. O conformista primeiramente é um algoz de si e depois de quem ama.
Texto extraído do livro “As regras de ouro dos casais saudáveis!, de Augusto Cury, editora Academia. 

terça-feira, 23 de junho de 2015

Frases e pensamentos do Pastor Ismael, Ministério Casados em Cristo


Conselhos de um pai aos seus filhos: 

"Que o teu coração seja sempre sábio para discernir o bem do mal, o certo do errado, o justo do injusto e que em meio a isso , reserve um espaço a para a graça e a compaixão para com os mais fracos, aqueles que ainda não amadureceram onde você já amadureceu. Que você compreenda, especialmente nos momentos ruins, que Deus te vê lá na frente, quem sabe depois da curva, no lugar de vitória e ali Ele te espera. Não perca a oportunidade de ser agradável, de fazer alguém feliz, porque isso trará a felicidade até você e lembre-se "quem serve para servir, serve, mas quem não serve para servir, esse não serve" , então sirva, seja útil para o Reino de Deus. ( Pastor Ismael, Casados em Cristo)

Não deixe o diabo levar vantagem sobre seu relacionamento.

Existem “coisas de casais” que a Bíblia trata e que às vezes não damos conta da seriedade do assunto. Uma dessas questões é quando o casal deixa de fazer amor.
Veja bem, a Bíblia diz que o casal não deve deixar de fazer por muito tempo para que Satanás não os tente. É impressionante essa verdade. Percebemos que quando um casal entra num processo  contínuo de pequenas brigas, já não conseguem mais se comunicar sem que se ofendam, as alfinetadas estão sempre presente, então, nesse período de inverno relacional, o amor é  uma das primeiras coisas que deixam de fazer.
Quando Satanás se dá conta que eles não estão fazendo amor, vem rapidinho colocar “minhocas” nas cabeças. Ele diz ao ouvido dela: “Ele tem amante”, “Dá o troco nele, se ele não quer você, tá cheio de outros que querem”, “Que tal o seu ex namorado, se esqueceu dele?”. E aí vem uma avalanche de sugestões. Ao homem ele faz a mesma coisa: “ Você merece uma mulher mais quente na cama”, “Você não é obrigado viver assim.”, e quando não, ele manda logo alguma “sirigaita” ( esse termo é muito antigo, vou atualizar) ou melhor, uma “periguete” se aproximar. Entenda que ele não obriga ninguém a pecar, mas insiste em sugerir e propor exatamente naquilo que está fazendo falta ao casal, o sexo.
Bom, mas a questão não acaba aí, eles estão se ferindo, e o perdão não está sendo liberado, é quando então, ele, o diabo, leva vantagem sobre o casal. 

Leia isso: "Se perdoardes alguma coisa a alguém, também eu perdôo; e aquilo que perdoei, se é que havia alguma falta a ser perdoada, perdoei na presença de Cristo, por amor de vós, a fim de que Satanás não tivesse qualquer vantagem sobre nós; pois não ignoramos as suas artimanhas. ( 2Co 10,11)

 Paulo estava orientando os irmãos que perdoassem uns aos outros nessas questões de relacionamento, e que ele também perdoaria, porque assim procedendo, Satanás não levaria vantagem sobre eles. 
Daí depreendemos que quando não há perdão no relacionamento, Satanás sai na frente, chega primeiro, se torna mais forte e o perigo fica maior ainda. 
Diante disso, aconselho, não deixe de amar, de fazer amor, não alimente sentimentos ruins, para que Satanás não leve vantagem sobre vocês sugerindo e criando oportunidades para a infidelidade. Caso você esteja intoxicado com pensamentos ruins, rancores, raivas e tal, mesmo assim, mude o seu pensar e o seu coração seguirá o novo pensamento, e então, deixando o orgulho, abra uma janela, talvez uma porta grande para a reconciliação, e façam amor. Não adianta você fazer mil orações de batalha espiritual e não fazer amor. O sexo, o ato conjugal, é a ferramenta de Deus para cura de muitas “picuinhas” e “minhoquinhas” que entram nas mentes e corações. Façam isso, vivam melhor, neutralize o poder do mal.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Uma mulher agradável ao seu esposo.



“Eu sou morena, mas agradável...”(Cantares 1:5)

Estudos revelam que as pessoas que vivem de bem com a vida, sorriem bastante, são carismáticas, são aquelas que atraem mais e são mais desejadas. Lendo o livro de Cantares encontrei essa declaração da sulamita, mulher de Salomão e veja quanta ousadia dessa mulher : “Sou uma morena,mas sou  agradável”. Entendo que ela quis dizer que é uma pessoa rústica, uma pastora de ovelhas, queimada do sol, não  uma palaciana. Ela estaria fora do padrão para ser esposa de um rei como Salomão. Entretanto,  isso não lhe provocava nenhum sentimento de inferioridade.  Ela tinha sua autoestima lá em cima. Sabia usar o que tinha de melhor que é a sua maneira agradável de ser. Gosto quando minha esposa brinca assim comigo, mostrando que está de bem com a vida, sem complexos , sem trauma algum, valorizada e reconhecida.
Um homem procura, ao menos, duas virtudes em uma mulher: primeiro um bom sexo e segundo, que seja uma companhia agradável. Há mulheres lindas, mas que não são desejáveis. Outras há que  não possuem um padrão de beleza , mas são encantadoras, tem charme e meiguice. E isso, somado a valores morais, atributos de caráter, fazem delas mulheres desejáveis aos seus maridos.
A mulher sulamita, a amada, traz no seu nome o significado: “aquela que tem perfeição”, ou seja, o nome sugere que seja perfeita. Outras mulheres a chamam de a “mais formosa entre as mulheres” , mas conforme ela mesma diz, “sou morena, mas sou agradável” me faz pensar que ela não era perfeita, mas perfeitamente adorável. Você pode pensar assim também, de repente, você tem alguém na sua vida que não é perfeito, mas que é perfeitamente amável. Ou ainda, não é necessário ou possível ser perfeito, mas é possível ser amável, desejável.
O apóstolo Pedro recomenda que a beleza da mulher não seja, prioritariamente, a exterior, mas sim, a interior. Ele diz que há outros valores que são importantes para uma mulher cultivar, como por exemplo, honestidade,  temperança, alegria,  fidelidade, e etc.
Boa coisa é quando a  mulher é  agradável ao seu homem, e que ele, corresponda a um amor bonito assim. E olha, pense bem, quem consegue conviver prazerosamente com uma mulher crítica, exigente, perfeccionista, e às vezes  organizada demais? Mulheres que resmungam e murmuram o tempo todo! Ah,  não tem amor que sobreviva! Um marido me disse durante um aconselhamento: "Pois é, pastor, a Bíblia diz que temos que amar até os nossos inimigos, então, terei que aguentar essa coisa aí!” Ele não se referia aos inimigos, mas sim, esposa encrenqueira que tinha dentro de casa, uma verdadeira “mulher limão”. Realmente, uma mulher pode ser morena, loira, branquela, negra, amarela, qualquer cor de pele, mas seja agradável, isso acrescenta anos de paz e alegria conjugal.
Cara amarrada, insegurança, ciumes, controle, tudo isso afasta um marido, nunca aproxima. Portanto, é escolher bem o que quer ser na vida e ser feliz. Assisti uma notícia na TV onde dizia que um prisioneiro ganhou a liberdade condicional e assim poderia cumprir a pena em liberdade, apenas teria que comparecer em juízo uma vez por mês para dar satisfações quanto a trabalho e outros detalhes. Passado três meses ele pediu ao Juiz que o recolhesse de novo porque ele não aguentava mais sua mulher. O fato é real e realidade em muitos lares, penso que alguns maridos toleram porque não tem para onde ir, aquele prisioneiro tinha uma cela e preferiu estar ali.  Pense nisso, faça mudanças se necessárias e viva bem. Abraços, Pr Ismael.


“Uma mulher pode incendiar o coração de um homem.
Pode torna-lo mais forte do que ele é na verdade, pode levá-lo a conquistas maiores, basta que seja uma companheira do tipo “conte comigo.”” – Pr Ismael, Casados em Cristo.







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...