SEGUIDORES

sábado, 23 de maio de 2015

Administre biblicamente seus conflitos conjugais.







Vamos falar um pouquinho sobre a existência de conflitos no relacionamento conjugal. Um relacionamento sem conflitos é uma utopia, pois onde houver duas pessoas juntas num propósito, ali estará presente o conflito. Conflitos não devem ser evitados, mas confrontados  e bem administrados. O que não se pode é permitir que  aumente de volume, somando-se a outros, gerando ódio e rancor. A brandura, a paciência deve tomar lugar nessa hora: 

Quando vocês ficarem irados, não pequem. Apaziguem a sua ira antes que o sol se ponha. Efésios 4:26 .

E mais:
Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem. Hebreus 12:15
Para entendermos os conflitos conjugais, é preciso deixar claro a diferença entre “problemas” e “conflitos”. ”Problema” refere-se a situação adversa que surge e que os dois buscam resolver juntos. “Conflito” é uma divergência entre os dois, que coloca um contra o outro, há um choque, não se juntam para resolver uma questão, mas para se digladiarem por causa da questão.
 Um conflito vai desde  um simples desentendimento podendo chegar  até a destruição do outro. O maior exemplo disso são os homicídios e agressões praticados por maridos e namorados contra suas parceiras que vem ocupando os noticiários de TV.
Na realidade, os conflitos não são de todo mau, pois se conduzido com sabedoria, pode ser a oportunidade para resolver de vez dificuldades que se arrastam por longo tempo. Podes ser o marco de um novo tempo, um recomeço. Alguém disse que a tempestade é uma oportunidade para o conserto e o recomeço. Descobrir no conflito uma saída criativa que traga nova vida, mudando comportamentos, aí reside a sabedoria.  
A melhor ferramenta para se tratar com os conflitos é o diálogo, sempre acompanhado de respeito à individualidade e o modo de pensar de cada um. É preciso aceitar a ideia de que eu não sou o outro e assim também o outro não é eu, portanto, somos diferentes, pensamos  de modo diferente e algumas vezes iremos agir e reagir de modo diverso, o que pode gerar alguns problemas.
Um conflito pode ser resolvido de maneira que haja um vencedor e um vencido, o que não é bom para o casal. Também não é bom quando há uma acomodação por uma das partes, que desiste de defender suas ideias, princípios e valores, abrindo mão e sendo infeliz. Outras vezes, a vontade de um é imposta mediante ameaça ou truculência, então dizemos, que houve ali uma solução despótica, coisa maligna para quem quer viver juntos.
  
Também é possível que ambos percam com a resolução do conflito, por exemplo, quando eles resolvem desistir  quando daria para redirecionar o relacionamento. O bom mesmo, chegam a uma resolução de consenso, uma solução negociada, com os dois cedendo um pouco e assim a unidade é que saiu fortalecida. Algumas crises costumam trazer conflitos para a relação, por exemplo, as  crises de saúde,  financeiras, e emocionais. É preciso redobrar a atenção e não deixar que uma crise financeira, por exemplo, jogue um contra o outro, com apontamentos de culpa, criando feridas desnecessárias. Eles devem somar esforços para vencer a crise e nunca  se dividir e tentar um vencer o outro. Lembre-se de Jesus quando disse: “Um casa dividida não subsistirá”.

 A ausência de regras claras, de convenções , também são nascedouros de conflitos. É sempre interessante deixar claro, o que pode e o que não pode, quais os limites da individualidade, quem faz o quê, quando e como. Vou exemplificar, uma esposa que tem uma dupla jornada chega em casa e o seu marido não “moveu uma palha” com as  tarefas domésticas, revoltada inicia-se uma discussão séria. Talvez se tivessem previamente estabelecido uma regra de conduta para ambos, conversado a respeito, a discussão não teria acontecido. Ela esperava que ele fizesse o serviço, mas não falou, e não deixou claro isso.
Para um homem arrumar a casa não é algo natural, mas apreendido, e normalmente o marido acha que arrumando a cozinha de vez em quando, ou fazendo o almoço no final de semana já ajudou muito, mas para a mulher, isso pouco ajuda, não resolve o seu problema. Tenha sempre em mente que melhor do que criticar é pedir antes. 

Procure identificar de forma imparcial o que está acontecendo, porque estão se digladiando. É importante verificar o que vinha acontecendo antes do conflito, pois geralmente um conflito quando eclode é resultado de algo que já vinha se arrastando há muito tempo. Escolher o momento mais propício para o diálogo amistoso é sabedoria.

Uma ferida inflamada precisa ser exposta para ser bem curada. É sempre bom pensar que o seu cônjuge, via de regra, não está querendo o seu mal, talvez esteja errado nas suas convicções, nada, além disso.

Escutar o outro.

As duas partes devem ter a paciência de ouvir tudo o que o outro tem a dizer sem interromper, sem gritarias, ou descontroles. Resolver racionalmente. É sempre bom que ambos diminuam seus níveis de exigência, isso aumenta a chance de cura. Grandes brigas começam com a somatória de pequenas coisas. Ceder pode ser uma alternativa boa, porém, não é bom que seja sempre a mesma parte que cede, causando aí uma angústia. Conhecer e seguir os conselhos bíblicos pode ser a melhor das estratégias, vejamos alguns: 

Pela longanimidade se persuade o príncipe, e a língua branda amolece até os ossos. “Pv 25:15 .
“A resposta calma desvia a fúria, mas a palavra ríspida desperta a ira.” Provérbios 15:1
“O amor....”Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. “ 1 Coríntios 13.

 Considere o que Salomão ensina:

“Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento” Pv 3.5. 

Não pense que você tem sempre razão. Considere a possibilidade de não estar certo. E para os homens digo, teu cônjuge não é um inimigo a ser vencido. O que precisa ser vencido é a dificuldade pela qual estão passando.

Veja agora,  mais alguns motivos de conflitos:

 - Esperava um pouco mais dele(a), mas não vejo mudanças para melhor.

E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Rm 12:2.
  

Quando Planos e metas não são levados à efeito.

Muitas vezes, as pessoas têm boa intenção, fazem planos, mas não conseguem levar adiante seus planos,  não saem do papel. E assim vão protelando mais e mais. Isso pode ser a causa de dificuldades no relacionamento pois o outro, por vezes, está cheio de expectativa, e a  frustração é inevitável,  e por conseguinte, os conflitos.
“Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará.”  Eclesiastes 11:4

-Promete muito, mas não cumpre.

“Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito.”  Lc 16:10.

A promessa não cumprida quando era, sabidamente, possível é desanimador. Observamos que quem é muito rápido em prometer, costuma ser lento em cumprir. Há quem diga que ninguém é obrigado a prometer, mas uma vez feito, deve cumprir com o que prometeu. 

- Quando um ofende e não se arrepende.

“Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.”  Colossenses 3:13

- Ira não tratada.

“Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem. “Romanos 12:21. “Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira.” Efésios 4:26.
Não deixe os ressentimentos se acumularem, e nem tampouco, guarde ressentimentos por coisas de somenos importância. Corte o mal pela raiz, aconteceu um fato ruim, converse logo sobre o assunto e depois disso, coloque uma pedra sobre ele. 

- Quando os esforços não são reconhecidos.

“Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és, de todas, a mais excelente!”  Provérbios 31:29 .
O reconhecimento por algo bem feito acaba sendo uma necessidade humana, todos gostamos de receber uma palavra de elogio, um encorajamento e quando isso não acontece é decepcionante, importa ficar atento, e sempre liberar uma palavra de afirmação, isso aumenta a motivação para o novo. 

-Pensamentos diferentes com relação à educação de filhos, parcialidade e preferências.

O casal deve entrar em um consenso com relação à melhor maneira de se educar os filhos, sempre trazendo seus pensamentos à luz da Palavra de Deus. Um não deve desautorizar o outro na presença dos filhos e todo cuidado é pouco para que não se tenha tratamento desigual com os filhos, pois quando acontece, feridas são abertas e inimizades são criadas dentro da própria casa.
Quem quer viver bem em família? Aumente o prazer e  diminua os conflitos. Tudo aquilo que traz alegria, como um jantar fora, um passeio no campo, uma viajem, um festa em família, é bem vindo, e deve ser colocada em prática. As discussões, invejas, agressões verbais, exigências desnecessárias, acusações, são coisas que devem ser excluídas do dia a dia.

Outros textos:

“Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.” Filipenses 2:4
“Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas” Filipenses 2:14
“O orgulhoso de coração levanta contendas, mas o que confia no SENHOR prosperará”. Provérbios 28:25
“O ódio excita contendas, mas o amor cobre todos os pecados”. Provérbios 10:12
‘O homem irascível levanta contendas; e o furioso multiplica as transgressões”. Provérbios 29:22
“O homem iracundo suscita contendas, mas o longânimo apaziguará a luta’. Provérbios 15:18
‘E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas”. 2 Timóteo 2:23
“É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas”.” 1 Timóteo 6:4
“Não contendas com alguém sem causa, se não te fez nenhum mal”. Provérbios 3:30
“Há no seu coração perversidade, todo o tempo maquina mal; anda semeando contendas’. Provérbios 6:14
‘A testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos’. Provérbios 6:19
“Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja’. Romanos 13:13
‘Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens?” 1 Coríntios 3:3
‘O homem perverso instiga a contenda, e o intrigante separa os maiores amigos’. Provérbios 16:28
‘Os lábios do tolo entram na contenda, e a sua boca brada por açoites”. Provérbios 18:6
“Honroso é para o homem desviar-se de questões, mas todo tolo é intrometido”. Provérbios 20:3
E para quando não houver jeito, o conflito se estabeleceu, e não há consenso, há um remédio milagroso chamado perdão, basta alguém dizer:

“Eu errei, por favor, me perdoe.

“O perdão é a ferramenta que Deus usa para restaurar relacionamentos” (Pr Ismael R Carvalho). 

Perdoar é permitir que o outro entre novamente na história de sua vida.



sábado, 16 de maio de 2015

Meus filhos, teus filhos, nossos filhos.

Assim como tudo na vida, o casamento e a família também estão em processo de transformação. Houve um tempo que quando falávamos de família a mente já nos remetia a ideia de um homem e uma mulher e seus filhos sendo criados aos seus pés. Hoje, precisamos “atualizar” nossa percepção nesse tocante.
Aqueles casais que passaram por uma experiência conjugal anterior e que por um motivo ou outro acabou não dando certo, querem tentar de novo e, logicamente, querem  acertar dessa vez. Os filhos podem ajudar ou atrapalhar, vai depender de uma série de fatores, mas especialmente da empatia que deve haver entre eles e o novo parceiro/parceira. O certo é que será preciso ainda mais cuidado e investimento por parte do casal para que tudo dê certo. Permita-me fazer algumas consideração sobre isso:

Conquiste o seu amado(a), mas conquiste as crianças dele também.
Costumeiramente vemos os indivíduos se apaixonando e  se amando “perdidamente” sem participar aos filhos, só o fazendo num segundo momento. Isso tem suas razões e valor, entretanto, pode gerar alguma dificuldade. 
Vamos supor que estão convictos de que se amam e decidiram se casar, porém, quando dão conhecimento aos filhos, e em não havendo uma boa aceitação, aí começam os problemas do futuro casal. 

Saber conduzir esse momento é determinante para o sucesso ou o fracasso. Os filhos, necessariamente, tem que fazer parte  do processo de aproximação e conquista. Não basta se conquistar a moça ou o rapaz, é preciso conquistar também os filhos. 

Como fazer isso, em que momento seria mais oportuno e como administrar reações e sentimentos são os primeiros passos.  Havendo uma interação e integração tranquila, é só ir cuidando e criando oportunidades para que se conheçam melhor e nasça ali uma relação de confiança.
A ideia é trazer os filhos para dentro do projeto de nova família, permitindo e dando tempo para que se adaptem ao novo momento. Mas se, contudo, não houver paz nesse relacionamento com os filhos, se houver ciúmes, desconfiança, agressões verbais, de maneira tal que não consigam administrar bem, então, o casamento poderá estar começando muito mal e precisa ser repensado. 
O ideal é que a premissa “meus filhos, teus filhos, nossos filhos” possa ser percebida nessa família em formação. Pode ocorrer que o homem, numa fase inicial, veja os filhos dela como “pequenos intrusos”, mas depois de uma caminhada juntos acaba amando e tocam a vida em frente. As mulheres, por sua vez, costumam ter ciúmes e ver os filhos dele como um concorrente, alguém que disputa com ela o amor dele. Há também aqueles que gostam de crianças e amam de pronto. Já os filhos adolescentes a coisa é um pouco mais complicada quando não há empatia. Um trabalho de aproximação e conquista deve ser iniciado imediatamente, porém sem pressa, apenas transmita amor e segurança para que as barreiras possam ir caindo.
Resumindo, penso que antes do novo casamento será preciso conquistar os pequenos corações que poderão ser receptivos ou não, mas com sabedoria é possível. E lembre-se, todo esforço é bem vindo, pois casar tendo como inimigo do casamento os filhos, é um indicador de problemas  a vista.
Nessa hora é que a presença de Jesus na família irá fazer a diferença, pois ele traz amor, perdão, paciência, perseverança, respeito, valores que serão imprescindíveis para que a nova família seja feliz. 


Acompanhe novas publicações sobre o tema. 








quinta-feira, 14 de maio de 2015

Frases e pensamentos sobre casamento e família.

"A esposa bíblica soma com o marido. Ela não compete, não rivaliza, não divide, não compara, antes, admira e respeita.
Sua Lealdade é plena, fiel em todos os aspectos  da relação. Agora, se essa mulher recebe dele amor e cuidado,
então, isso tudo , que poderia ser um dever, transforma-se em prazer."   Pastor Ismael, Casados em Cristo.

Frases e pensamentos casamento e familia


"Caso alguém não ame sua esposa de modo que se perceba amada, e nem cuide de seus filhos , incutindo
neles segurança com relação ao amanhã, então, a vida cristã desse alguém é uma mentira."

sábado, 9 de maio de 2015

Pastoro Ismael, Ministério Casados em Cristo, na RIT TV, programa Vejam Só, fala sobre o "divórcio mandado por Deus" em Esdras 10.

Dia 20 de maio, 23 horas - RIT TV - Programa Vejam Só. Pastor Ismael participa
do programa com o tema; "Se Deus odeia o divórcio, como explicar Esdras 10, quando as esposas foram mandadas embora pelos seus maridos, juntamente com seus filhos?" O tema é difícil, você poderia me ajudar registrando sua opinião aqui nesta página.
DIA 20 DE MAIO - 23 HORAS NA RIT TV 

Frases e pensamentos: Verdades que curam.

Pequenos ressentimentos provocam isolamento e mais adiante destroem qualquer relacionamento. Isso é verdade !! Mas
não a única, e nem precisa ser a sua verdade. Admita suas falhas. Faça concessões. Trate daquilo que foi mal resolvido.
Peça perdão, Facilite a reconciliação. Essas verdades são melhores, pois promovem cura, e devem ser  suas melhores verdades.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...