SEGUIDORES

Google+ Followers

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Dicas para melhorar a resolução de conflitos.


1- Não faça guerra de silencio quando desejar  evitar conflitos. Os conflitos não precisam ser necessariamente ruins, eles podem ser uma oportunidade para mudanças importantes. Tentar evitá-los fazendo  guerra de silêncio é tão agressivo quanto a palavras ofensivas, e pior, não dá a chance do outro se defender, pois não sabe o que está acontecendo. Permanecer quieto porém com semblante sereno e aberto ao diálogo  é diferente do silêncio que agride. O melhor é a palavra dita a seu tempo e de forma branda.  E assim não  desperdiçam o tempo de amar e de se alegrar como casal.

2- Não faça lista de erros para usar no momento de discussão. Trate dos problemas tão logo esses aconteçam.

3-Não discutam feio na presença das crianças e de outras pessoas.  Imagine um filho pequeno escutando o pai aos gritos dizendo que vai embora de casa, essa criança vai para a cama imaginando que no outro dia o pai não estará mais em casa, os terá abandonado. E não raras vezes o casal se acerta na cama, porém, a criança não fica sabendo disso, e aquela palavra assustadora permanece em seu coração provocando insegurança e medo de perder o pai.

4- Teu cônjuge não é teu inimigo, por isso  não o ataque, mas sim, ataque o problema.

5- Durante um conflito é comum buscar coisas antigas, já resolvidas, envolver outras pessoas, e tudo isso não ajuda. Procure discutir um problema por vez, e assim focar nele até que se tenha uma posição a respeito.Uma discussão conjugal tem que tem começo, meio e fim.

6-  Quando se aponta uma falha, uma falta, um erro, é sempre interessante que se apresente uma alternativa , uma solução. Tem pessoas que são boas em criticar o que está sendo feito ou pronto, mas não sabe indicar uma solução melhor.

7- Jamais diga “você nunca” ou “você sempre” Pv 16.24. Nunca e sempre, é muito tempo, a afirmação pode estar errada.

8- Expressões de ironia e de sarcasmo não são bem vindas em discussões quando se deseja realmente solucionar uma crise.

09- Quando se entra em uma discussão, acredita-se estar certo, mas nem sempre se está certo, ou , não se está certo sempre, por isso, seja humilde, coloque bem as palavras.

10- Em casos de discussões, as pessoas falam alto e não escutam o que o outro diz. Procure demonstrar que está escutando , e fazendo assim, o outro não irá gritar pois não será necessário.


11- Admitir um erro, pedir perdão, desarma o raivoso. Faça todo empenho para não transferir culpas, nem terceirizar responsabilidades, o melhor é assumir o erro quando ele realmente aconteceu.



Abraços, Pr Ismael e Pra,Cleire. "Fiquem com Deus, fique em família" Palestrante para casais e famílias.

quarta-feira, 23 de julho de 2014



Abraços, Pr Ismael e Pra,Cleire. "Fiquem com Deus, fique em família" Palestrante para casais e famílias.

Meu casamento está cheio de problemas, estou desolada e preciso de orientação.

Olá…
Bom, eu nasci em um berço cristão, não me separei de Deus apesar de não ir mais a igreja frequentemente desde a morte do meu avô, há 10 anos.
Eu e meus esposo estamos juntos a pouco mais de 5 anos e casados a 2, mas a questão é que nós não temos nos dado bem de um anos para cá, são muitas brigas, pequenas discussões, principalmente porque ele quase não me ajuda na rotina de limpeza da casa e cuidados com nosso filho de um ano e exige atenção (que em consequência de tantos afazeres tem mesmo sido quase inexistente)…
Ele tem um vício que me irrita muito, o cigarro – mas penso que ele fuma mais por causa dos colegas (que ele chama de amigos) do que pela própria vontade – e todas as vezes em que não estamos bem ele chega em casa fedendo a cigarro, o que me deixa ainda mais irritada.
Quando esses “amigos” estão afastados, discutimos mas conseguimos nos entender, mas se eles estão próximos ai já era (próximo que eu quero dizer é que estão na nossa cidade, pois eles moram fora).
Este fim de semana fomos a uma festa com minha família, ele bebeu muito e fumou, não tomou conta do nosso bebê hora nenhuma durante a festa; ele flertou algumas garotas, e não tenho certeza, mas desconfio que tenha me traído, apesar de meus familiares afirmarem que não.
Eu tenho vontade de me separar dele por muitas coisas, mas por outro lado tenho medo de como será, pois terei que voltar a morar na casa da minha mãe se isso acontecer e eu e ela não concordamos muito em relação a educação do meu filho, pois ela dá salgadinhos ou mamadeira a qualquer hora em que ele a peça ao envés de respeitar os horários de alimentação dele e dar almoço e janta.
Ando muito nervosa, penso que estou entre o que fui ensinada desde a infância (que quando se constrói uma família ela é para a vida toda) e o meu desamor por tantos desentendimentos.
Peço sempre orientação a Deus, mas às vezes sou impaciente e não consigo entender o que Ele fala comigo se não for rasgando o verbo. Pastor, me dê uma opinião, avalie a situação e diga o que o senhor faria.

Respostas: Minha querida, existem muitas coisas que se possa fazer para melhorar ou curar uma relação, como a comunicação que deve ser trabalhada, o companheirismo, a busca de valores morais em ambos,
o respeito e a fidelidade. Porém penso que você está tentando levar a vida espiritual com algumas coisas que aprendeu no passado, um dia você encheu seu tanque espiritual e agora esta tentando caminhar sem renovar. Mas escute isso, Deus quer de nós relacionamento, enquanto você não priorizar Deus como a pessoa mais importante de sua vida, as coisas continuarão desse jeito, você sobrecarregada, sem forças, sem fé para mudar a vida. Creio que Deus pode mudar o coração de um homem viciado, adultero e descompromissado com a relação. A Palavra é Viva e eficaz, lembra da oração de Jesus:
"O Pão Nosso de Cada dia”…e "Nem só de pão viverá o homem, mas de toda Palavra que sai da boca de Deus" , percebe  isso, é um encontro diário com Deus, você por aquilo que diz está sendo religiosa mas não é alguém que dependa de Deus, que valorize a presença Dele. Conserte a vida espiritual de sua família, comece por você e com vagar as coisas melhorarão.
Quanto ao seu marido, ele não tem compromisso com Deus, então não se pode esperar muito mesmo, não é nenhuma novidade que ele fume, beba, goste mais de estar com os amigos,  adultere, etc. O ideal para a família é estar na igreja, a Bíblia fala que não devemos deixar de congregar exatamente porque na igreja se ouve o que é bom, se aprende, corrige, toma novas posturas, faz-se escolhas melhores. O seu fardo está pesado demais para se carregar, então, é hora de tomar o jugo de Cristo e aprender dele, e assim encontrará descanso para sua alma. Sabe irmã, Jesus tem o seu jeito de resolver nossos problemas , basta confiar, estar na presença Dele que as coisas vão se ajeitando, as vezes de forma surpreendente outras vezes não, mas sempre o bem chega. As armas que dispomos para lutar não são carnais, mas espirituais e poderosas em Deus para desfazer argumentação contrária, é isso que você está precisando. Tudo que eu te aconselhar para fazer com relação ao teu marido, se você estiver sem o poder de Deus agindo através de você, então, vai virar mais briga e confusão. Faça isso primeiro, busque um relacionamento com Cristo. Quem ama Deus ama o que Deus ama, e Deus ama a Igreja apesar de tantas decepções que vamos experimentando. Quando você procurar uma igreja, se reencontrar com Cristo em obediência, se quiser a gente se comunica por aqui. Entenda que o nosso aconselhamento não é psicológico, mas  bíblico.  
Quanto a uma eventual separação penso que não seria o caso, pois separar e continuar longe de Deus só vai te levar ao encontro de outro marido não cristão, então, invista nesse casamento, perdoe no seu coração, ore por ele, tente ganhar o seu marido para Jesus sem muitas palavras, mas por exemplo de fé. Você tem um filhinho, ele vai precisar de Jesus também, olha a responsabilidade espiritual de uma mãe. Quando temos crises é quando mais precisamos buscar Deus, sua Palavra, porque ela nos orienta, nos fortalece, dá a direção a ser seguida, então, faça isso. Abraços. Força em Deus, Pr Ismael e Pra. Cleire. 

terça-feira, 22 de julho de 2014

Meu marido voltou, mas mantém contato com a outra. O que eu faço?

Pastor por favor me aconselhe. Somos um casal casados no Senhor, temos filhos e há dois anos meu marido arrumou uma outra mulher e passou a viver com ela. Ele vinha reclamando que nosso relacionamento precisava mudar, ele queria mais alegria, mais companheirismo e sexo, mas isso não aconteceu, ao menos aos olhos dele. Eu entendia que não precisava de mudança, estava bom da forma como estávamos vivendo. E assim , ele se foi.  Passado mais ou menos um ano, ele se dizia estar feliz naquele relacionamento, estava amando a outra, e ela também, mas por temor a Deus ele começou a pensar em voltar para casa e refazer nossa vida. E foi isso que ele fez, voltou para mim, estamos juntos, eu estou feliz ,mas não sei se ele está feliz. E vejo no celular dele que mantem o contato com a outra, manda e recebe mensagens de bom dia, tudo de bom, sempre nesse sentido de amizade, como bons amigos. Eu não quero que ele mantenha esse contato com ela, o que o senhor acha disso? Ele está certo? Será que sou eu que sou ciumenta demais e vejo coisa onde não existe nada demais? Eu sei que estamos em briga pro causa disso. Me responda por favor. Ele também espera a sua resposta.

RESPOSTA:

Irmã, paz  e sabedoria sobre o teu casamento. Olha, conforme você sabe eu conversei  com seu marido e realmente é isso, ele mantem a  amizade com a mulher com quem adulterou. Ele era um ministro do altar de Deus, querido na igreja, aquele tipo de pessoa extrovertido, alegre , festiva, do tipo boa gente. Ele vinha reclamando que vocês faziam sexo uma vez por mês e que isso o aborrecia. Certa vez foi  fazer um serviço na casa dessa moça, divorciada, e como já se conheciam  há 12 anos, passaram a travar um relacionamento de amizade. E deu no que sempre dá, ele adulterou  com ela mesmo sendo um homem do altar de Deus. Ele falava comigo em pranto, percebo que ele tem  temor a Deus, sabe que errou feio, e acha que está maduro o suficiente para não errar de novo. Ele confessou que se dependesse de uma escolha livre, ele ficaria com a outra, onde era muito bem tratado, com carinho, cama, encorajamento, enfim. No entender dele, ela o ama com amor incrível, e ao que parece, ele tem forte apego para com ela. O que o trouxe de volta foi o conhecimento da verdade,  o adultério leva a morte e destruição. Pois bem, minha irmã, quanto a sua reclamação de que ele ainda mantém uma amizade com ela  você está certa, ele não precisa odiá-la, nem maltrata-la, mas deve se afastar  pois caso contrario esse história fica sem um ponto final. Permanecer assim, é permanecer muito tempo próximo do abismo , um perigo. Uma possibilidade de retorno estará sempre  no coração dele e dela, e isso além de adultério emocional, pode também desabar num novo arranjo, ficando ele com você como esposa e com ela como amante, e com a cara de pau de achar que o amor é lindo aos olhos de Deus. Não é honesto que ele continue assim, eu disse isso a ele, é muita humilhação e desonra para você. Ele precisa cortar todas as possibilidades e oportunidades de vínculos com ela, inclusive, no meu entender, deve fazer um voto com Deus quebrando todo laço de alma, para que na força de Deus ele supere esses pensamentos prazerosos que me  ainda guarda da relação. Mandei ele olhar o que fez Jó no capítulo 31.1.  E quanto  a você, acho que pode e deve leva-lo a prestar contas de sua vida pois perdeu o crédito e vai ter que provar que merece a sua confiança de novo,  mas só isso não vai resolver a questão. Passar fiscalizá-lo pode fazer você perder  o foco principal. Há mudanças que precisam acontecer em vocês dois. Tudo o que ele disse que foram  causas  da separação e adultério, deve ser levada em conta. Aprendi com um estudioso do assunto que são três coisas importantes a serem consideradas sobre a infidelidade:

As tendências que a pessoa já trazia da família ( pai adultero, filho aprende o adultério, educação, aprendizado, exemplos);
Os motivos ( falta sexo, falta de carinho, falta de tempo, etc)
As oportunidades ( muito tempo perto da tentação).

Quando alguém tem  tendencias, e acha motivos, há um cheiro, uma fumaça de adultério, mas se houver nele tendência, motivos e oportunidades, então, o adultério é iminente.

Pense bem,analise, e neutralize o que for possível, o que não der para você fazer, fale com Deus.

 As crises podem ser oportunidades que Deus nos dá para mudanças radicais acontecerem, não perca o trem da história, mude algumas coisas em você e o desafie também, mas faça isso com maturidade , dialogando bastante, procure encantá-lo com seu amor . Você deve mostrar-lhe que ele terá outras razões para estar com você além do temor do inferno. Falei para ele investir em você, promover o seu crescimento , a sua auto estima, mude o cabelo, compre umas roupas novas, sorria mais, entusiasme-se com a vida, seja criativa, prepare noites de amor, de uma surra de carinho nele, acabe com ele, mostre que você tem o que ele quer, é isso. Fazer tipo de coitadinha desconsolada, cara de viúva não ajuda muito, isso é autopiedade,  é pecado. Ele tem um vida financeira confortável, então, dê um arranjo no visual, ele concorda com isso, aproveite. Vai esperar o quê, ele desistir da reconstrução e gastar com a outra.
Bom, mas tudo isso , sem a presença de Deus não vale nada. Seja compromissada com o Senhor, faça Dele  o seu bem maior, a sua dependência e sua força.

Era o que eu tinha para lhe dizer, seja feliz, ria mais, divirta-se com seu marido, ele vai se libertar definitivamente,  tão somente ajude-o. Durante a minha conversa com ele algumas vezes ele chorou de saudade do tempo que era visto como um homem de Deus, então, Deus fará isso acontecer.

Abraços, Pr Ismael e Pra,Cleire. "Fiquem com Deus, fique em família" Palestrante para casais e famílias.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Pastor Ismael do Casados em Cristo fala sobre alguns mandamentos para os maridos.

O amor lida com o próprio ego primeiro.




“Porque você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Mt 7:3

Lidar com as próprias questões primeiro é sempre a melhor coisa a fazer. A tendência humana de culpar os outros frequentemente coloca a carroça na frente dos bois. Focar nos erros de outra pessoa  é como as pessoas inseguras lidam com suas próprias incapacidade. Ao invés de reconhecer e  admitir seus próprios erros, elas ligam o holofote em cima de outra pessoa, e usam isso para justificar o que elas mesmas fizeram de errado.


O cônjuge amoroso, porém, insatisfeito com o casamento, deve olhar primeiro para seu próprio coração para ver onde está o problema. Jesus notou que vemos mais claramente quando enxergamos antes nossos erros e nos arrependemos deles. 

Abraços, Pr Ismael e Pra,Cleire. "Fiquem com Deus, fique em família" Palestrante para casais e famílias.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Porque nossos filhos estão indo para a cadeia?

Recentemente estivemos em um jantar para casais na cidade de Pereira Barreto, SP, e lá conhecemos pessoas interessantes, crentes dos bons e entre eles, conhecemos o jovem, mas experiente Pastor  Diego Brito e sua esposa. Sentamo-nos  e passamos a conversar sobre as questões de família.
Num dado momento o Pastor Diego fez uma pergunta daquelas difíceis de responder sem uma reflexão mais acurada, e em seguida deu o seu parecer. Ele havia perguntado por que a maioria dos presos são filhos de crentes, o que se poderia observar  até pelo nomes dos reclusos, Davi, Joabe, Josué, Daniel, Moisés, Ezequiel, Elias e outros mais. Então complementou: “ Sabe Pastor Ismael, nós os pentecostais espiritualizamos demais a vida, se algo bom nos acontece é de Deus, porém , se algo ruim nos sobrevém, então é culpa do Diabo. E assim o ser humano fica isento de culpa e sem o compromisso com as mudanças necessárias. O Diabo fica sendo o culpado dos nossos erros ,omissões e pecados. Se a gente não mudar esse quadro, se não investirmos verdadeiramente na família, nossos filhos continuarão indo para a cadeia, completou.”  A conversa continuou e nós concordamos que precisamos de uma mudança radical  na condução de nossa família. Precisamos amadurecer em nossos valores morais, somos do tipo que damos o calote no mercado da esquina e dali vamos para a igreja levantar as mãos em adoração. O pior é que já não dói mais a consciência. Nós é que escolhemos sermos honestos ou não, e o diabo fica com a parte pequena que foi a sugestão de não pagarmos e de adorarmos mesmo assim. É só um exemplo, mas existem muitos males que precisam ser tratados na família com mais seriedade. 
É preciso ensinar a todos o plano todo de Deus, o que é espiritual e o que é simplesmente humano, porque em algum momento tudo isso se funde no espiritual.
E a família se ressente dessa falta de mudança, não aprende a amar, não aprende a respeitar, não assume seus erros, não sabe o que fazer diante das dificuldades, não lhe é ensinado como resolver conflitos, redirecionar a vida e  assim o divórcio, a violência doméstica, o abandono de filhos, logo começam a surgir. O adultério impensável dentro da igreja se torna só mais um escândalo. É comum encontrar  casos onde a família se dá por feliz por vestir um terno ou um vestido bonito e com uma bíblia na mão ir para a igreja e ali ser aceito como alguém maravilhoso, justo e santo, sem que a transformação oferecida pelo evangelho tenha se consumado. A ovelha acomodada, só come o que o pastor lhe der, ela não produz seu próprio alimento, não compra um livro, não escuta uma palestra sobre educação de filhos, não lê um artigo sobre o valor moral de um homem.  
E quando alguém fala que é preciso investir na família, no ensino de valores, logo alguém já acha que então é preciso fazer um encontro de casais, uma vez por ano, com jantar de gala, e umas brincadeiras de casais e assim estará resolvida a questão. Isso é “ melhoral” no tratamento de câncer, é bem vindo, mas acontecendo anualmente não vai resolver, é muito pouco.
Meus queridos, a igreja fala de dízimos todos os cultos, por isso o povo aprende a ofertar e a dizimar, o mesmo deveria ser feito com a família, os líderes deveriam falar sobre as mazelas da família, como o adultério, a agressividade verbal, a falta de carinho,  a pornografia, a erotização das crianças, o sexo pervertido, a falta de compromisso com o lar,  mentiras e enganos nos relacionamentos de família, o amor de um marido pelo sua própria mulher, o respeito dela para com ele, precisamos aprender sobre essas coisas. Eu não sou e não quero ser aqui derrotista, ou profeta do mal, mas é preciso valorizar a família, é preciso cantar com verdade a música de Regis Danese onde diz: “Me ensina a tratar minha família com amor”, ou vamos continuar mandando filhos para a cadeia, porque quando eles começam a entender a vida, percebem que seus pais não são nada daquilo que falam que são, descobrem que são cristãos superficiais que aprenderam o “evangeliquez” e vivem dizendo “oh, glória”, “só vitória”, “ misericórdia, Senhor”, mas a as mudanças profundas não aconteceram .
Penso que quando um filho perde o pai como referencia de herói e de exemplo a ser seguido e a mãe como exemplo de amor, é quando ele se entrega para o mal, pois o referencial deixou de existir, era um engano, faltaram balizas para caminhar. 
Uma noite qualquer estava eu e a Cleire vindo de um seminário de casais,e olhava para a rodovia sinalizada por placas refletivas, sinais luminosos demarcando os limites da via, então pensei, isso funciona como os pais que norteiam a vida dos filhos, que mostram por onde andar, os limites da vida, o permitido e o proibido. Mas e quando se perde esses sinais, ou os sinais se mostram confusos? É quando eles se vão para a terra do inimigo. Olha, preciso concluir, deixo aqui meu clamor, não mandemos mais ninguém para a cadeia por falta de interesse em se ter uma família centrada na verdade e na luz do evangelho. Não terceirize a responsabilidade por sua casa, não transfira culpas, assuma a direção de sua própria família, ensine, ensine, e ensine.  É o meu apelo. Preocupado com minha própria família,  chamei a esposa e as crianças, fizemos um culto doméstico, com um violão mal tocado, com vozes infantis desafinadas, mas com vontade de Deus, com fome, falei para os meninos sobre o arrependimento que nos traz para perto de Deus novamente.   Abraços , Pastor Ismael, Casados em Cristo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...